12.7.07

AMIZADES PRÉ-HISTÓRICAS




Tu não vais acreditar! Chegaram com um hora e meia de atraso. Entraram com os toldos para pendurar na varanda, já eu estava furioso da minha vida, pois já tinha ligado para lá a confirmar que eram brancos e eles vinham a caminho com toldos azuis às riscas. Mas a minha varanda é alguma tenda de praia? Não vou propriamente pôr-me a fazer sumos de maracujá e a oferecer garrafas de 33cl de água fresca aos vizinhos! Entraram e na sala partiram logo um grande jarrão japonês que tenho à entrada. Calei-me, não disse nada. Tentei conter-me para não criar mau ambiente. Perguntei-lhes quanto tempo achavam que demoravam, afinal estavam hora e meia atrasados e eu tinha coisas para fazer a partir das três da tarde. Lá começaram a desenrolar os toldos e foram então para a varanda. Foi aqui que o pesadelo de facto começou, revelando os verdadeiros homens das cavernas que deambulavam lá por casa. Com umas patas gigantescas que habitavam uma espécie de botas imundas, iam calcando, pisando e esmagando as plantas que tinha na varanda. Eu não tenho propriamente uma estufa montada cá em casa, mas adoro plantas e vou recolhendo algumas variedades pelas minhas viagens. Espectáculo de variedades começaram eles a fazer a tentar equilibrar os toldos, que mais parecia um número de malabarismo. Vou para o quarto para não ter que levar com os ruídos sonoros que os homenzinhos grunhiam daquelas bocas imundas, mas sou obrigado a voltar à varanda. O estilhaçar de vidros informou-me que tinha acabado de perder o tampo da mesa ao fundo da varanda. Apenas consegui deixar escapar entre dentes: tenham cuidado, por favor. E voltei para o quarto. Estes homens são completamente pré-históricos! E como na pré-história não existiam parafusos, esqueceram-se deles e tiveram que ir os dois lá abaixo à carrinha ou à fábrica, não percebi muito bem. O que percebi, é que já passa da uma da tarde e das criaturas medonhas, nem sinal. Eles que nem pensem que me vão deixar isto assim! Uma hora depois, depois de eu ter ligado a desmarcar as coisas que tinha planeado fazer, aparecem-me os australopitecos à porta. Mais um vaso partido. Dois ramos duma planta enorme que a minha mãe me ofereceu, e agora os almofadões já servem de escadote para aquelas botas nojentas.
Estou a ver que assim que saírem tenho de desinfectar a casa toda e logo á noite tenho aqui um jantar. Eu não acredito! Agora é que eu não acredito! Montaram os toldos ao contrário! Isto realmente só a mim! A minha varanda parece uma caverna pré-histórica, os toldos já são pretos daquelas mãos encardidas, e as paredes da varanda parecem exibir verdadeiras gravuras rupestres. De onde vem esta gente? São grunhos, mal-educados, brutos, sujos, nada profissionais e o que mais me enerva é que no fim ainda vou ter de lhes pagar. Esta situação é completamente absurda! Mais valia eu ter-me mudado para Foz Côa, e montar uma barraquinha de sumos de fruta! Antes de lhes pagar, o que muito me custa, vão à casa de banho lavar as mãos. Eu, que já não os posso ver à minha frente, digo-lhes que sim, visualizando já as minhas toalhas novas tingidas por aquelas patorras de bichos parentes dos dinossauros. Não há o mínimo respeito pelos outros e por aquilo que não lhes pertence! E se eu também fosse a casa deles com as botas cheias de lama partir mesas e cadeiras? Às tantas nem iam estranhar, eu é que não conseguia entrar, pois para terem este tipo de educação, devem viver em barracas! Não aceitamos cheques, amigo! Confesso que a partir desse momento, a nossa amizade tinha passado todos os limites e eu não me responsabilizei por aquilo que disse a seguir!

25 comentários:

Nini disse...

Sabes o que eu responderia ?
Olha então descontanto tudo aquilo que me destruiram em casa, não pago e brevemente aperecerá na Sede da sua empresa a conta da limpeza da casa ! E may nada !

O que te vai na alma!! disse...

a nini disse tudo... falta de respeito do carago...
gostei do post...

abraço

Plum disse...

Eu tinha-me passado logo quando partiram o primeiro jarrão!!!Não tenho paciência para estes tipos!!!E o pior é que há muitos por aí!!!
Grande abraço!!!*

Papoila disse...

Gostei da tua crónica e olha que eu não pagava e não sei o que diria! Bastava partirem o jarrão para não darem nem mais um passo!E o meu dedo bem espetado a dizer RUA!
Eu sou do Puuartueee carago!

Mike disse...

Gostei do post e lembra-me, infelizmente, muitos episódios com os quais nos confrontamos ao longo da vida. Eles partem, eles riscam os chão, ele cheiram mal e nós temos de lhes pagar...

Gemini disse...

Acho que a única resposta possivel é: "Go Barda-shit"!
Mas não te devias queixar muito, afinal, não és tu que adoras re-decorar? LOL

Conguitos disse...

bem a falta de profissionalismo é algo que me deixa completamente completamente fula ... Onde estão os gestores de RH que fazem e desenvolvem os colaboradores? lloll devem ser os contabilistas os advogados ou os psicologos ou sociologos ou todos aqueles profissionais que se querem fazer passar por RH lloll
tinha de aproveitar o post o que aconteceria naquela empresa era nunca mais ser contratada e receber um montam de reclamaçoes com todas as anormalidades que fizeram e mais uma publicidade destrutiva :)

Graduated Fool disse...

Conheço muito bem o género mas, ainda assim, isto é acima do aceitável. Uma coisa é arrancarem um bocado do canto de uma parece, fazerem uma moça num móvel, arrancarem um pouco de mosaico, como já me aconteceu e me deixou fulo da vida, outra coisa é isso, quase vandalismo sem ser premeditado.

Que azar. Pois, resta-te proceder às limpezas, arranjos e substituições.

Abraço

beleza de mulher disse...

eu fazia eles pagar tudo o que partiram ai se fazia e bem caro podes crer

Arms disse...

Rapaz... OK! Não vim comentar o teu post, que gostei imenso... Vim apenas dizer que foste desafiado. Vai ao meu blog para mais informações... ^^

Denise Silva disse...

LOOOL...
Pagar? Eu mandava-os era pastar, atirava-os da janela abaixo e mandava-lhes a conta dos estragos para casa... Era só o que faltava...!

Beijinhos...

borrowing me disse...

nem sempre é fácil...
boa semana

bjs e até já

AcidoCloridrix disse...

Depois da 1ª fase de votação para as “7 Desgraças do Mundo (a combater ou erradicar)”, iniciamos a 2ª fase com 14 “candidatas” escolhidas pelos visitantes do nosso Blog.
De modo algum pretendemos, nem podemos, mudar o Mundo com a nossa opinião,,,, mas tentaremos publicar os resultados na maior parte dos Blogs que nos seja possível,,,, e esta divulgação poderá servir como alerta a quem de direito neste Mundo em que vivemos e em que até agora gostamos e queremos ter prazer de Viver!!!!
Caso queira votar,,,, este é o link: http://sexohumorprazer.blogspot.com/2007/07/desgraas-do-mundo-combater-e-erradicar.html ,,,, apesar estar de férias, lanço aqui este desafio de novo,,,, Obrigado, HCL

Sergy disse...

Parece que te fizeram umas obras rupestres:)

Alien David Sousa disse...

Ó Pedro...lol muito sinceramente, no meio disto tudo o que realmente me SURPREENDE é como tu/personagem só rebentou quando os trogloditas lhe responderam que não aceitavam cheques.


Mas tu estavas sob o efeito de calmantes? Enquanto a tua casa era violada?

Eu acho que logo no início tinha morto alguém! Mas isto sou só eu lol

Fazes Yoga?;)
beijinhos alienígenas
p.s.You try everything you can to escape
The pain of life that you know

When all else fails and you long to be
Something better than you are today
I know a place where you can get away
It's called a dance floor, and here's what it's for, so...vogue

Esquece os trogloditas! lol

Nuno disse...

É realmente triste que isto aconteça. Mas meu amigo te garanto que comigo isso não acontecia. Mas também não ia ser eu a montar os toldos. Iam-se embora e mandavam-me alguém de jeito!

Voltei de férias... ;)

beleza de mulher disse...

ohhh pedro passa no meu blog tens la uma banana quente para ti hehehheheh

Martinha disse...

Ui... Eu ficava logo passada quando partissem o jarrão japonês.
Realmente há pessoas que não têm cuidado nenhum na casa e nas coisas dos outros :/

Tiago disse...

credo! Eu tinha pegado nos restos das coisas partidas, e tinha-os enfiado pela guela deles abaixo. Olha que realmente!LOL

Pralaya disse...

Incrivel exsite assim pessoal tão desorganizado, sem profissionalismo nenhum. Bem visto de fora até têm imensa graça tudo o que fizeram, mas só de fora hehehe.

Peste disse...

lol

há cada bicho por aí!!!

caneco!!! até tou com pena das toalhinhas!!!

alguém+ neste mar de gente disse...

nao posso creer... se isso acontrceu estou profundamente indignada por alguém ter de pagar essa barbárie!

Anónimo disse...

Meu caro amigo pedro fazias isto depois da coisa do cheque: ai não aceitam cheque ? e que tal um pontapé no cue han ? desamdar já austropilectos !

gaohui disse...

Davidson garment is a quintessential Harley abercrombie Outlet davidson item, especially if you feature ones Harley decked abercrombie and fitch over. Featuring the whole distinctive line of leather abercrombie sale jackets, t-shirts, buckles, hats, belts, boots abercrombie & fitch and helmets, feeling of guilt reason this is abercrombie not to accessorize to max.A decent buy Harley enthusiast will abercrombie uk go in closet and grab a Harley t-shirt, leather jacket and boots. But, abercrombie london does your closet contain present accessory considering all abercrombie and Fitch Polo of? The Harley helmet. With out them your road abercrombie Polos trip could end in disaster.

Anónimo disse...

Doing the same thing for thomas sabo diamonds is going to cost you thomas sabo sale an arm and a leg as the colored diamonds thomas sabo jewellery are hard to come by. thomas sabo charms The deposit and jewelry boxes you have, thomas sabo online as well as desk and cabinets, vehicle doors and windows, sabo jewellery home and store front doors can all get ruined. thomas sabo charms sale Using a skilled locksmith you'll cheap thomas sabo charms be able to have the assurance that you get the best work that will be done right and guaranteed.All to often, discount thomas sabo charms instead of finding an automotive locksmith, thomas sabo charms clearance Washington DC residents try to take matters in to their own hands.