11.5.07

O PAPAGAIO ESTÁ LOUCO! O PAPAGAIO ESTÁ LOUCO!




Estou no meu maior desgosto. Quando ele veio pra cá viver, era a alegria desta casa. Todos os meus amigos metiam conversa com ele, tentavam ensinar-lhe novas palavras, que ele rapidamente aprendia, fazendo as delícias dos nossos jantares e envergonhando alguns rostos mais tímidos com a cor de alguns vocábulos. Era sempre muito divertido e tinha toda a nossa atenção, mas algo estranho, havia neste papagaio porque existiam sempre imensas penas no chão da gaiola. Depois começou a ficar esquisito com a comida. Só comia folhas de alface fresca e pedacinhos de banana e maça partida. E nós cedíamos aos seus caprichos apesar de não percebermos porque encontrávamos sempre tantas penas na gaiola. Comecei a achar que ele sofria de alguma alergia que lhe fizesse cair as penas ou que estivesse na altura da mudança da pena. À noite tapávamos a gaiola e no dia seguinte era sempre uma festa quando me via. No início fazia-me alguma confusão tapar-lha. Tinha medo que ele sufocasse. Mas depois explicaram-me que se eu apagava as luzes do quarto, era justo que ele dormisse também às escuras. Um dia achei que estar sempre fechado é que não era lá muito justo e comecei a abrir-lhe a gaiola ao fim da tarde, depois de chegar a casa. Ele adorava voar pela cozinha toda, principalmente pendurar-se nas portas dos armários qual artista de circo. Depois comecei a reparar que o seu espectáculo era deixar bicadas bem afiadas em todas as portas. Deve ser para libertar o stress de estar o dia todo trancado numa gaiola pouco maior que o seu tamanho, pensei eu. E não sabia eu o que estava a dizer! Mas no outro dia comecei a ficar seriamente preocupada com ele. Levantei-me de manhã, estava um dia lindo de sol e normalmente, como todos os dias fui à cozinha e tirei o pano que cobre a gaiola, já com um pratinho recheado de pedaços de maça e banana cortadas para tomarmos o pequeno-almoço ao mesmo tempo. Mas estranhamente ele estava muito sossegado, sem mostrar grande entusiasmo por me ver e o chão da gaiola estava completamente coberto de penas. Tentei falar com ele, a ver se me respondia mas mostrava-se muito indiferente à minha presença, quase como que amuado. Abro a gaiola para que possa dar uma volta matinal pelo tecto da cozinha. Ele sai a voar em grande velocidade, ganha toda a energia, aliás uma energia até desmedida. Faz voos repentinos sem pousar em lado nenhum, que me deixam completamente assustada. Começo aos gritos que o papagaio está louco, que o papagaio está louco. Começo a correr atrás dele, na vã esperança de o apanhar e de o tentar acalmar, mas a porta de um dos armários cai-me na cabeça. Não percebo porque que é que a porta do armário caiu, mas a verdade é que depois disso houve mais duas portas que caíram, assim como uma parte de uma estante que desfez mais de dez pratos no meio do chão e o papagaio continuar a voar em alta velocidade pelo tecto da cozinha e só vejo penas à minha frente. O papagaio está louco, o papagaio está louco! Só depois consegui perceber que foi ele que bicou de tal forma os armários e a estante, que transformaram esta cozinha numa verdadeira casa do terror que pode muito bem substituir a feira popular. O chão da cozinha está recheado de cacos partidos, portas de armários, pedaços de maça e banana pisados que entretanto deixei cair, e todos o meu pequeno almoço, café, leite, torradas, flocos, chávenas e talheres, já que eu escorreguei e quando me agarrei à toalha da mesa, fiz cair tudo no chão. Tudo coberto de um lençol de penas que aumenta a cada um dos seus voos. O papagaio está louco, o papagaio está louco! Quando finalmente o consegui apanhar, estávamos os dois esgotados e reparei que já há muito tempo que é ele que se arranca as suas próprias penas e que em certos sítios está praticamente depenado. O médico diz que ele sofre de stress e que não há comprimidos que o salvem. E realmente não há. Aqui estou eu, ajoelhada no quintal fazendo uma cruz no chão, sofrendo o meu maior desgosto, porque o meu papagaio morreu de stress.

5 comentários:

Pralaya disse...

Desconfiei que fosse stress, penso que estes bichos sofrem muito desta doença.

Nuno disse...

Um dia destes, temos todos o mesmo fim que o pobre papagaio, sufocado por tanta gente, tanta coisa, tanta confusão, preferiu assim...
abraço

Denise disse...

por isso é que eu em vez de papagaios tenho peixes... são mais baratos e não têm tantas manias...

Beijinhos*

gaohui disse...

Davidson garment is a quintessential Harley abercrombie Outlet davidson item, especially if you feature ones Harley decked abercrombie and fitch over. Featuring the whole distinctive line of leather abercrombie sale jackets, t-shirts, buckles, hats, belts, boots abercrombie & fitch and helmets, feeling of guilt reason this is abercrombie not to accessorize to max.A decent buy Harley enthusiast will abercrombie uk go in closet and grab a Harley t-shirt, leather jacket and boots. But, abercrombie london does your closet contain present accessory considering all abercrombie and Fitch Polo of? The Harley helmet. With out them your road abercrombie Polos trip could end in disaster.

Anónimo disse...

Doing the same thing for thomas sabo diamonds is going to cost you thomas sabo sale an arm and a leg as the colored diamonds thomas sabo jewellery are hard to come by. thomas sabo charms The deposit and jewelry boxes you have, thomas sabo online as well as desk and cabinets, vehicle doors and windows, sabo jewellery home and store front doors can all get ruined. thomas sabo charms sale Using a skilled locksmith you'll cheap thomas sabo charms be able to have the assurance that you get the best work that will be done right and guaranteed.All to often, discount thomas sabo charms instead of finding an automotive locksmith, thomas sabo charms clearance Washington DC residents try to take matters in to their own hands.